Conferência Mundial de Juventude no Sri Lanka

Escrito por em May 3, 2014 em rafael | 265 comentários

Logo oficial da Conferência Mundial de Juventude 2014

Logo oficial da Conferência Mundial de Juventude 2014

E lá vou eu começar minha turnê internacional 2014. Todas as minhas viagens ao exterior tiveram a ver com o Esperanto, e dessa vez não será diferente: viajarei ao Sri Lanka como representante da TEJO – Organização Mundial da Juventude Esperantista, na Conferência Mundial de Juventude, que acontecerá em Colombo, maior cidade do país.

A conferência terá como tema a agenda Pós-2015 da ONU, que substituirá os Desafios do Milênio. O objetivo é discutir a posição da juventude mundial sobre as prioridades e metas para os próximos 15 anos. Desde a Rio+20, da qual participei representando o movimento esperantista, venho acompanhando as discussões sobre este tema, por isso quando o governo do Sri Lanka convidou a TEJO para a conferência, oferecendo inscrição, visto, passagens, hospedagem e alimentação gratuitos para um representante de nossa organização, fui o escolhido para viajar.

O movimento esperantista vem ganhando força no Sri Lanka, e duas semanas após a conferência teremos o Congresso Singalês de Esperanto, em Ja-Ela, cidade próxima a Colombo. Por essa razão me pediram para ficar no país até o fim do mês para representar a TEJO e a UEA – Associação Universal de Esperanto, neste evento. Meu amigo paquistanês Adeel, com quem passei agradáveis momentos no Vietnã, também pretende participar deste congresso, e é sempre bom rever os amigos.

Tentamos obter fundos para enviar mais membros da TEJO para o Sri Lanka, mas sem sucesso. Confesso que de início imaginei que a viagem acabaria sendo maçante, pois nas minhas experiências internacionais anteriores logo ao chegar já encontrei esperantistas, conversamos e nos divertimos. Como foi bom encontrar a Ĝoja no aeroporto de Hanoi, o Dror no de Tel-Aviv, aquele monte de esperantistas no portão de embarque para Reykjavik em Amsterdã e as conversas animadas no ônibus para a cidade depois da viagem… e dessa vez eu seria o único representante da TEJO em um país desconhecido, em uma conferência cuja língua oficial é o inglês, e depois, até chegar o congresso, teria mais de uma semana para passear sozinho pelo país. Tentei contatar o organizador do congresso, mas ele não me respondeu (depois fiquei sabendo que ele raramente usa internet, é um senhor que prefere correio e telefone), e comecei a perder a esperança de já na primeira semana encontrar samideanos.

Colombo, a maior cidade do Sri Lanka

Colombo, a principal cidade do Sri Lanka

Porém, através da página do congresso no Facebook acabei conhecendo dois jovens esperantistas do Sri Lanka, ambos muito simpáticos e prestativos. Conversamos via internet nas últimas semanas e decidimos inscrever um deles, Dinesh, na conferência para me ajudar. Tenho hospedagem e alimentação gratuitas até o dia 11, depois disso é tudo por minha conta, e o outro rapaz, Ishanke, se prontificou a me hospedar em sua casa em Colombo, de modo que não precisarei gastar com hospedagem. Além disso, se prontificaram a me levar para passear pelo país, e desde então tenho certeza de que essas semanas no Sri Lanka serão inesquecíveis.

Ishanke demonstrou preocupação com minha chegada: queria me esperar no aeroporto, pois, como costuma acontecer em países pobres, há golpistas no aeroporto querendo enrolar os turistas (percebi isso no Vietnã, onde taxistas cobram caro de quem não tem noção dos preços e alguns comerciantes embolsam troco e fingem não entender se você reclama), mas o tranquilizei ao contar que haverá uma equipe orientando as delegações e ônibus exclusivo para nos levar aos hotéis. Minha reserva foi emitida ontem, dormirei no hotel Ramada Colombo durante a conferência, depois vou pra casa do Ishanke.

Obviamente, passei as ultimas semanas estudando sobre a conferência e o país que a sediará. O Sri Lanka antigamente se chamava Taprobana (palavra conhecida por uma das passagens mais famosas de Os Lusíadas), época da influência portuguesa, até hoje encontram-se falantes de português no país, o Ishanke é descendente de portugueses e sabe um pouco da língua. Depois foi a vez dos ingleses, que deram à ilha o nome de Ceilão e procuraram impor sua língua e seus costumes: em 2012, voltando do Vietnã, comprei, no aeroporto de Doha, chá inglês produzido no Sri Lanka (a produção de chá é uma das principais atividades econômicas do país), e a língua inglesa ainda é muito falada por lá, mas as línguas nativas se impuseram: os idiomas oficiais do país são singalês e tamil.

Em breve estarei voando rumo a Abu Dhabi, onde pego conexão para Colombo. Tentarei atualizar o blog sempre que possível, mas a conferência me tomará muito tempo, então é provável que eu escreva pouco ao longo da primeira semana.

Para recordar a minha experiência na Rio+20, seguem os links:

http://www.esperanto.com.br/me-preparando-para-a-rio20/

http://www.esperanto.com.br/youth-blast-encontro-da-juventude-para-a-rio20/

http://www.esperanto.com.br/rio20/

http://www.esperanto.com.br/cupula-dos-povos/

 

Cartaz multilingue com propaganda do Esperanto.

Cartaz com propaganda do Esperanto em diversas línguas.

Uma resposta para “Conferência Mundial de Juventude no Sri Lanka”

  1. Viktoro Cezaro says:

    Que legal Rafael!

    Vou acompanhar suas postagens.
    Te desejo uma maravilhosa viagem!

    Gxis!