Esperanto nas escolas

Esperanto nas escolas

Proposição: EMR-2 CEC => PL-6162/2009   Autor: Andreia Zito – PSDB /RJ   Data de Apresentação: 10/06/2010  – Acessória de: PL-6162/2009

Ementa: Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), para dispor sobre a inclusão facultativa do ensino de esperanto no ensino médio Autor: SENADO FEDERAL Relatora: Deputada ANDREIA ZITO


Escrevam aos deputados apoiando o Esperanto nas escolas.

Endereços dos deputados
Não enviem a mesma mensagem a muitos deputados na mesma hora, ou sua mensagem será barrada como spam. 

SUGESTÃO DE TEMAS AOS DEPUTADOS

É mais interessante  que mandemos mensagens curtas ao deputados, em vez de longas teses. Assim, melhor que cada um escolhesse um ou dois temas para mandar suas curtas mensagens. Idealmente, estas mensagens devem conter “provas” do uso do esperanto. Abaixo alguns temas:

1) Esperanto, as resoluções da ONU/Unesco e apoios políticos. Quem abordar este tema pode citar as duas resoluções da ONU/Unesco e outros documentos, incluindo a carta encomendada pelo presidente Lula para responder ao contato que a UEA fez ao nosso presidente durante uma reunião do BRIC. Declarações do antigo e da nova líder da Unesco favoráveis ao esperanto tb são bem-vindas, se pudermos coletar algumas. A depender da linha política do deputado, podemos linkar o vídeo no Youtube em que Fidel recebe esperantistas: http://youtu.be/drl2jh8UGk0   .

2) Esperanto aceito pela China: com o crescimento da China e esta adotado o esperanto como língua internacional em vez do mandarim. Isso pode chamar a atenção dos deputados. Boas “provas” a serem anexadas às mensagens são links para a China Radio Internacional (com programas diáros em esperanto), e links como http://www.chinadaily.com.cn/world/2009-08/05/content_8525005.htm  (em inglês). Acredito que o Prof. Josias possa nos enriquecer com mais exemplos para este tema.

3) Esperanto e a cultura de paz: além de uma curta exposição sobre a relação do esperanto com a ideia de paz e compreensão, pode-se citar o uso moderno do esperanto em movimentos como a Marcha pela Paz Mundial, com site com versão em esperanto: http://www.theworldmarch.org/index.php?lang=epo&secc=join  .

4) Esperanto nas universidades: pode-se citar ações de esperanto nas universidades, incluindo a revista InKoj da Universidade de Milão, Itália: http://riviste.unimi.it/index.php/inkoj/ .

5) Outro tema que deve ser tratado nas mensagens curtas junto com os Congressos é o Pasporta Servo, que mostra o uso do esperanto. A edição de 2006 do pasporta, segundo a Wikipédia, teve 1320 endereços em 92 países. Veja o leque de opções que um e-ista tem se decidir viajar! Se bem me lembro o UK na Europa reuniu mais de 1000 pessoas, não? Quase 2000. Bons números! 🙂

6) Como tema também, é possível ainda falar da ligação de intelectuais da cultura brasileira e internacional com o esperando, indo de Tolstói e Júlio Verne, passando por Medeiros e Albuquerque (autor do Hino da República), Graciliano Ramos, além das traduções recentes de Machado e Paulo Coelho.

7) Um Congresso Mundial que se reune pela 95ª vez, com 950 particiapantes vindos de 59 paises, falando a mesma lingua e discutindo “Aproximação de Culturas” é um excelente tema para mostrar o dinamismo da lingua.  Consulte http://gazetaro.co.nr/

É interessante sempre frisar que o PL versa sobre o ensino facultativo se a comunidade o necessitar; portanto a aprovação do PL não acarreta em peso ao sistema educativo; apenas legitima o direito de aprender a língua.

 

Envie cópia de sua mensagem aos deputados às listas de discussão

Deixar uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *