Me preparando para a Rio+20

Escrito por em May 30, 2012 em Blog, rafael | 265 comentários

Me preparando para a Rio+20

Durante o mês de junho estarei no Rio de Janeiro para participar da Rio+20, eventos preparatórios e paralelos. O primeiro já é na próxima semana: o Youth Blast, encontro de jovens para a Rio+20. Depois haverá a rodada de negociações organizada pelo Ministério de Relações Exteriores do Brasil, a reunião de cúpula da ONU, a Cúpula dos Povos e tantos outros eventos.

E o que o esperanto tem a ver com isso? Em primeiro lugar, consideramos a diversidade linguística e cultural importantíssimas para um mundo sustentável, e a primeira versão do documento a ser discutido na Rio+20 não menciona línguas e pouco discute sobre culturas. Assim, nossa principal preocupação é garantir que o documento final reconheça a importância das línguas para um desenvolvimento sustentável, conforme nos mostra uma pesquisa publicada recentemente.

Além disso, as organizações internacionais, dentre elas a ONU, são verdadeiras torres de Babel, com exceção das organizações esperantistas. Isso dificulta muito a cooperação internacional, tão necessária para um mundo sustentável. E que melhor propaganda pode haver para o esperanto do que um grande evento internacional no qual as barreiras linguísticas são o principal problema? Esperantistas de diversos países estarão se comunicando com facilidade e naturalidade, enquanto outras pessoas não conseguirão expressar suas ideias por não dominarem línguas estrangeiras. O uso do esperanto, por si mesmo, é suficiente para provar que ele funciona.

Participei do concurso Date With History, cujo objetivo foi selecionar um discurso para a Rio+20, promovido por uma coalizão internacional de ONGs chamada GCCA, e me tornei finalista graças ao trabalho de esperantistas que fizeram uma campanha internacional para conseguir votos para meu vídeo em esperanto. Foi emocionante constatar que pessoas que nem conheço, em diversos continentes, produziram tutoriais, traduziram o texto do vídeo para suas línguas nativas, fizeram propaganda do vídeo em seus países, e graças a elas meu vídeo foi para a final.

Os organizadores do concurso fizeram um vídeo com trechos dos discursos finalistas, e neste vídeo pode-se notar nitidamente como os nativos em inglês dominam a língua muito melhor do que os que o falam como língua estrangeira, especialmente no caso de africanos e asiáticos. Quem, então, se beneficia da hegemonia do inglês? Temos uma comunicação internacional justa? Basta comparar este vídeo com outro, de esperantistas de diversos países falando em esperanto, para notar como o esperanto é falado com naturalidade e fluência pelos não-nativos, independente de suas línguas maternas.

Vídeo DWH: http://datewithhistory.com/uploads/#!/media/rvnes5

Vídeo Esperanto Estas: http://www.youtube.com/watch?v=n0k2dzvy3Vk

A UEA – Associação Mundial de Esperanto, é uma organização em status consultivo na ONU. Por esse motivo recebemos convite para a Rio+20 e fui cadastrado no evento principal como membro da delegação da UEA, Eis outra grande oportunidade que o esperanto me deu. Por ter sido finalista no Date With History, fui convidado para um evento paralelo, organizado pelo GCCA, no qual conhecerei a Brittany, vencedora do concurso, e participarei de discussões importantes com jovens ativistas de diversos países. E tudo isso começou com a decisão de aprender esperanto…

Comentários estão fechados.